Transformação digital para bancos: quais serão as tendências em 2021?

Última actualización 24 de Noviembre del 2020

user

Paula Cordero

Transformação digital para bancos: quais serão as tendências em 2021? Transformação digital para bancos: quais serão as tendências em 2021?

O crescimento digital parece não se deter e o setor de serviços financeiros não é estranho a ele. Atualmente, a grande maioria dos bancos aposta na adoção de um mindset digital e na mudança da forma tradicional de fazer transações. Quando as operações são realizadas por meio de um aplicativo móvel em vez de em uma agência, elas são mais baratas e fáceis para o usuário e para o próprio banco.

Anos atrás, era estranho pensar que uma pessoa pudesse adquirir um empréstimo ou cartão por meio de um smartphone, mas hoje é comum ouvir isso. Com o aumento do uso da Internet, smartphones e tablets, os bancos perceberam que há uma grande oportunidade de atrair novos usuários desta forma, oferecendo-lhes produtos 100% digitais e ajudando seus clientes existentes a migrar para um mundo digital que lhes permita gerenciar seu dinheiro facilmente.

Estamos prontos para os bancos 100% digitais?

Embora nem todas as pessoas tenham adquirido um produto digital, a cada dia mais clientes estão optando por serviços on-line, que permitem maior acessibilidade às suas contas e otimizam seu tempo. Os bancos geralmente estão muito lotados e um cliente pode passar vários minutos ou até horas em uma fila para processar um cartão de crédito ou débito. Atualmente, a grande maioria dos bancos permite que este procedimento seja realizado por meio de seu internet banking ou aplicativo móvel.

Em um estudo, a KPMG  perguntou a algumas pessoas como pagam suas compras diárias. 45% disseram que usam cartão sem contato e apenas 4% usam carteira digital. Isso deixa 41% do Reino Unido ainda usando dinheiro. Para jovens de 18 a 35 anos, esses números chegam a 8% com uma carteira digital, 51% com tecnologia sem contato e apenas 34% com dinheiro. Entre os maiores de 55 anos, o dinheiro continua sendo o método de pagamento mais usado, com 53% contra 37% que usam cartão sem contato e 0% que usa carteiras digitais.

transformación digital bancos

Imagem: Freepik

Embora os mais velhos ainda não apostem nesta mudança, na sua maioria, os jovens veem esta solução digital como uma forma mais fácil de fazer compras.

Neste contexto, é indiscutível ter em conta o impacto que a pandemia teve nos meios de pagamento. Conforme mencionado pela Mastercard, os pagamentos sem contato aumentaram 40%, porque os consumidores temem germes no dinheiro e nos cartões de crédito. Da mesma forma, a empresa de consultoria Bain, destacou que antes do surto do vírus, os pagamentos móveis nos Estados Unidos estavam abaixo das taxas de adoção global em aproximadamente 10%.

Tendências digitais no setor bancário para 2021

Após o início da pandemia, a necessidade de realizar qualquer tipo de atividade à distância acelerou a digitalização dos pagamentos. Sem dúvida, o setor financeiro deve reagir a esta mudança de comportamento dos consumidores e entender quais tendências tecnológicas estão chegando para transformar a experiência de um cliente mutável e cada vez mais exigente.

79% dos executivos de bancos concordam que há uma necessidade de reengenharia drástica das experiências que unem tecnologia e pessoas, de uma forma mais centrada nas pessoas, enquanto 17% dos executivos de bancos relatam que a IA faz parte da estrutura da sua organização, de acordo com um estudo da Accenture.  

Como a Crehana para empresas ajuda sua equipe?

Qual será o futuro dos bancos em 2021? Eles possuem todo o conhecimento necessário para incorporar a tecnologia em seus processos? Nas linhas a seguir, explicamos quais serão as tendências tecnológicas que os bancos devem analisar cuidadosamente para melhorar suas operações.

Uso de Inteligência Artificial

“As tecnologias de inteligência artificial estão se tornando cada vez mais integrantes do mundo em que vivemos, e os bancos devem implementar essas tecnologias em escala para permanecerem relevantes. O sucesso requer uma transformação holística, que abranja várias camadas da organização.”- McKinsey & Company.

Usar a análise de dados para fornecer personalização preditiva será fundamental nos bancos. Este uso de inteligência artificial e aprendizado de máquina resultará em sites personalizados e recomendações financeiras em tempo real, que otimizarão a experiência do cliente. A McKinsey & Company detalha que as tecnologias de IA podem ajudar os bancos a alcançar os seguintes resultados: maiores lucros, personalização em escala, experiências omnicanal distintas e ciclos rápidos de inovação. Os bancos que não conseguirem fazer da IA um elemento central de sua estratégia e operações centrais correrão o risco de ser superados pela concorrência e abandonados por seus clientes.

Incorporação de códigos QR

Os códigos QR estão se tornando cada vez mais populares em quase qualquer lugar do mundo. Esta transação é sem contato e geralmente está associada a uma carteira móvel, que é ativada pela leitura de um código com um smartphone. Esta tendência, impulsionada ainda mais pela pandemia, é uma grande oportunidade para os bancos atraírem novos clientes e digitalizar mais pequenas e médias empresas (PMEs).

Graças aos códigos QR, os pagamentos são rápidos, legítimos e menos arriscados. Por exemplo, na China, este método de pagamento é muito popular. O país utiliza dois canais principais para facilitar os pagamentos: WeChat QR Code e Alipay QR Code.

transformación digital para bancos

Imagem: Freepik

VeriTran,menciona que a vantagem comercial e competitiva deste produto é enorme. As pequenas empresas podem entrar no ecossistema de pagamentos digitais, com taxas de processamento de transações, mas com economia significativa em comparação a ter um terminal nos pontos de venda (POS).

No caso dos consumidores, os códigos QR permitem que utilizem um sistema de pagamento digital rápido e simples para operar a partir de um dispositivo móvel. Com as oportunidades para PMEs e consumidores, as instituições financeiras devem gerenciar uma estratégia QR para ambos os grupos.

No caso das empresas, o banco deve oferecer um serviço que as ajude a cobrar os pagamentos dos clientes por meio deste sistema, seja por aplicativo ou por código impresso. E para os usuários, é imprescindível incluir a função de pagar com este código no aplicativo ou carteira móvel.

Big Data

O setor financeiro lida com uma grande quantidade de dados, que seriam impossíveis de processar sem a ajuda do Big Data. Ao trabalhar com Big Data, os bancos agora podem usar as informações transacionais de um cliente para rastrear continuamente seu comportamento em tempo real, fornecendo os recursos necessários. Esse monitoramento em tempo real ajuda a melhorar o desempenho e a lucratividade do banco.

Nesse sentido, a Eastern Peak, lista alguns dos benefícios do Big Data no setor bancário:

✔️ Os macrodados fornecem uma visão completa do negócio para determinar padrões de comportamento do cliente, eficiência de processos e tendências de mercado.

✔️ Permite otimizar e agilizar seus processos internos com a ajuda do aprendizado de máquina.

✔️ Melhora sua segurança cibernética e reduz o risco usando algoritmos inteligentes para detectar fraudes.

Os bancos poderão realizar estratégias baseadas em dados para:

✔️ Segmentar clientes com base em perfis.

✔️ Cross-selling e up-selling com base na segmentação de clientes.

✔️ Melhor atendimento ao cliente.

✔️ Identificar padrões de gastos e realizar ofertas personalizadas.

✔️ Avaliação de riscos, conformidade e relatórios que auxiliam no gerenciamento e prevenção de fraudes.

✔️ Identificar os principais canais onde o cliente faz transações.

Contactless

Devido à pandemia, é comum os clientes não quererem manusear maços de notas ou moedas que foram tocadas por centenas de estranhos. Os pagamentos sem contato, ou contactless, permitem que os usuários paguem por mercadorias ou serviços sem ter que passar um cartão ou dar dinheiro.

Este sistema de pagamento funciona por meio de identificação por radiofrequência (RFID), uma tecnologia difundida baseada em campos eletromagnéticos. O RFID usa chips de memória que armazenam dados ou "tags", além de leitores RFID que decodificam a mensagem. Graças a esta tecnologia, objetos físicos próximos podem se comunicar uns com os outros.

O funcionamento dos cartões é muito simples: basta levar o cartão até um terminal identificado como Contactless, sem ter que inseri-lo ou passá-lo pelo leitor de tarja magnética. Por outro lado, serviços como Apple Pay e Google Pay permitem que pagar por smartphones.

O setor bancário deve implantar novos produtos sem contato para fornecer novas opções de contactless aos seus usuários. Especialistas afirmam que, em alguns anos, a população deixará de usar dinheiro para migrar para um mundo bancário 100% digital.

Estas são apenas algumas das tendências que virão. O mundo bancário é um setor que deve estar na vanguarda da tecnologia. Bancos como Bancolombia, BanCoppel e Banco de Bogotá fazem parte do Crehana para empresas e estão capacitando-se com nossos tracks de aprendizagem personalizados. Quer saber como ajudamos eles a aumentar sua produtividade e desenvolver um mindset digital? Clique aqui.

Recomendados para ti