De freelancers a empreendedores: a história da editora WOLU

Brasil 12 de Abril del 2020

user

Francesco Bertorini

De freelancers a empreendedores: a história da editora WOLU De freelancers a empreendedores: a história da editora WOLU

Muito se diz que a indústria dos quadrinhos tem dois pilares: Estados Unidos e Japão. Tirando a caricatura política, nós artistas latino-americanos carecemos de uma plataforma estável ou um público que consuma nosso trabalho constantemente. Parte do combinado é que teremos que construí-lo coletivamente, de forma autodidata e sempre negociando a favor do nosso conteúdo, mas contra nossa estabilidade econômica. Por isso, o que Pablo Monreal e Pía Prado estão fazendo no Chile é, não só inspirador, como também verdadeiramente revolucionário.

Em 2018, os dois ilustradores e artistas de quadrinhos, fundaram WOLU, uma editora de narrativa gráfica especializada em manga latino-americano. Neste artigo te contamos um pouco da história deles e como foi a revolução de freelancers a empreendedores.

Páginas em processo do Café Amargo, de Pía Prado

Treine sua memória com este manual, faça o download gratuitamente!

Como começaram a fazer quadrinhos?

Pablo: Faço quadrinhos de forma independente há 4,5 anos. Enquanto estudava arquitetura, fui criando a saga de El Arca, Chajnantor e Carta Prat

Pía: Publiquei meu primeiro quadrinho online em 2011 e comecei logo a publicar meus trabalhos em fanzines para vender nas férias. Isso aconteceu enquanto estudava ilustração na universidade (onde conheci o Pablo em 2014) e assim comecei a ganhar dinheiro com meu trabalho. No início os quadrinhos não davam muito dinheiro, então comecei a oferecer comissões e às vezes fazia a arte de scripts já escritos.

Como nasceu a WOLU?

Pía: A ideia original foi do Pablo, ele estava terminando sua saga “Carta Prat” e precisava de uma editora que publicasse. Assim começamos a pensar “criaremos uma editora nós mesmos”. Sempre tive interesse no trabalho de editor, então me ofereci pra trabalhar como editora para apoiar seu projeto.

Pablo: A ideia da WOLU apareceu quando me juntei a uma equipe para trabalhar em uma cabana no sul do Chile por alguns meses, para produzir muitas páginas de quadrinhos em pouco tempo, nos apoiando no processo criativo e de produção. A princípio a equipe se formou assim, mas logo contratamos mais pessoas inclusive teve os que se candidataram diretamente, nos enviando seus trabalhos. Começamos no final de dezembro de 2018, já temos mais de um ano.

WOLU significa “meu lar” e o número “8” (nosso número da sorte) em vários idiomas. Queria englobar a amplitude e diversidade do nome porque é uma equipe de pessoas que faz quadrinhos.

 Faça o download deste pacote de pincéis para o Paint Tool SAI

Os 4 volumes da Carta Prat, de Pablo Monreal

Qual é o objetivo da Wolu?

Pablo: Vamos passo a passo direto ao nosso objetivo: ser uma editora forte de manga, o mais forte possível. Somos um grupo que concentra autores com trabalhos de alta qualidade para o público.  A experiência tem sido difícil, é um ambiente competitivo, mas eu gosto, é como um sonho que virou realidade. Criaremos o vínculo do ramo editorial asiático e latino-americano.

Pía: Aproveitamos pra combinar o evento de lançamento da editora com a publicação dos 4 volumes de Carta Prat. Ainda estamos muito agradecidos pela resposta do público. No começo não sabíamos se iríamos recuperar nosso investimento e conseguir pagar salário aos autores.

Vários títulos WOLU à venda

Continue aprendendo em casa. Saiba como obter uma associação Premium aqui

Como querem contribuir para a cena de quadrinhos latino-americana?

Pía: WOLU nasceu porque sentíamos que não existia uma editora que dava valor ao “manga” como uma influência importante para artistas jovens. Então, procuramos retribuir essas histórias que nos formaram desde pequenos e demos lugar a vozes que nem sempre são ouvidas. 

Pablo: Nosso papel como latino-americanos que fazem quadrinhos é fazer o melhor possível, e como editora é criar um espaço organizado para gerar oportunidades reais para artistas da América Latina, para que possam mostrar seu talento pro mundo.

Wolucita (personagem da marca), por@dextrous.sinistrous

Podemos ler algum título da WOLU online?

Pablo: Sim, podem ler a maioria dos nossos quadrinhos online. Carta Prat está completo na sessão Tapas, podem ler gratuitamente. Os trabajos de Pía l

podem ser lidos em Faneo.es em espanhol.

Pía: Também estamos desenvolvendo uma plataforma para vocês lerem os primeiros capítulos dos títulos de WOLU através da nossa página, então fiquem atentos às novidades que comunicaremos pelas redes. Podem nos encontrar no Instagram ou Twitter.Também subimos muito conteúdo de entretenimento, como os quadrinhos de WOLUCITA, que foram criados pela Gabriela Gutiérrez. Vão ler!

Quadrinhos Wolucita e Ulow (personagens da marca) de @ciendol 

Se não tem uma plataforma, crie uma. Hoje, mais do que nunca, o poder de um criador independente não tem limites. O dever que temos com nossa comunidade não é apenas publicar nossos projetos. Vamos ser parte da mudança e amos ajudar a criar, gerir e estabilizar plataformas que sirvam para o progresso de todos. Pablo e Pía são agora os editores que eles gostariam de ter no início, mudaram o mundo pra melhor. Nós também podemos! Seguimos seus conselhos: precisamos de perseverança, propósito e saber trabalhar em equipe.

Você já conhece nossa nova seção Trabalho Remoto? Descubra tudo o que temos para você

Gostaria de aprender a fazer mangá? Confira o curso Ilustração tradicional e digital para quadrinhos de Pía Prado em Crehana.

 

 

Recomendados para ti