Como fazer sua própria webcomic e publicá-la na Internet sem perder amigos

Última actualización 15 de Octubre del 2020

user

Juliane Angeles

Como fazer sua própria webcomic e publicá-la na Internet sem perder amigos Como fazer sua própria webcomic e publicá-la na Internet sem perder amigos

Se você está se perguntando como fazer uma webcomic?, é porque, com certeza, você tem um personagem na cabeça que quer sair e ganhar fama, certo? Pois bem, não a deixe de castigo na prisão das ideias. Pegue um lápis e um papel e dê-lhe um passaporte direto para a Internet (assim como o One Punch Man).

Você tem mais de uma ideia para fazer uma webcomic e não se anima? Quer contar as histórias mais malucas que passam pela sua cabeça? Este artigo é a oportunidade perfeita para dar este primeiro salto.

Faça sua primeira webcomic com o curso de Webcomics: Ilustrações para Instagram

Índice

  1. O que é uma webcomic e como ela pode me ajudar a contar minhas histórias?
  2. Faça sua webcomic: não tenha medo do formato ou da falta de experiência
  3.  História da webcomic One Punch Man
  4. One Punch Man e sua adaptação ao mangá
  5.  One Punch Man: do mangá ao anime
  6. One Punch Man: webcomic em espanhol
  7. O que você precisa para fazer uma webcomic?
  8. Preciso saber desenhar para fazer uma webcomic?
  9. Com o que posso fazer minha primeira webcomic?
  10.  Plataformas da web para fazer uma webcomic
  11. Como fazer uma webcomic?
  12. Onde posso publicar minha webcomic?
  13.  Outras plataformas para publicar seu webcomic GRÁTIS
  14. Como se tornar um(a) mestre de quadrinhos na web?
  15. Outras webcomics e desenhos on-line que você deve conhecer
  16. O que é uma webtoon? É o mesmo que uma webcomic?
  17. Como criar comics on-line grátis sem se registrar?
  18. O que é uma história em quadrinhos?
  19. Características de uma história em quadrinhos
  20. Quais são os elementos que compõem uma história em quadrinhos?
  21. ¿Cómo hacer una historieta?
  22. Como fazer uma história em quadrinhos?

 

1. O que é uma webcomic e como ela pode me ajudar a contar minhas histórias?

Uma webcomic é uma variante dos quadrinhos tradicionais e dos quadrinhos publicados fisicamente. Eles são tão antigos quanto a própria Internet, mas sua popularidade explodiu no início dos anos 2000. Com a chegada — para o bem ou para o mal — das redes sociais em nossas vidas, os webcomics foram caindo no esquecimento de grandes públicos, mas mantendo sua base dos fãs mais fiéis até hoje.

O que havia de inovador na webcomic foi a forma como os autores aproveitaram o formato oferecido pelas páginas da web e blogs para compartilhar suas histórias em faixas horizontais ou verticais, conseguindo contar de forma breve ou episódica as aventuras e situações de seus personagens.

Os gêneros de webcomic são tão diversos que até possuem tipos que dificilmente podem ser vistos em outros formatos (como quadrinhos ou livros), isso devido à grande liberdade criativa que a publicação na Internet pode dar. A censura nunca é boa, mata a alma e a envenena.

Depois da época de ouro da webcomic, os novos autores encontraram nas redes sociais (as mesmas que tornaram o formato menos popular) outro meio de publicação para se darem a conhecer. Ironia à parte, a criatividade sempre encontra uma forma de explorar o ambiente (mesmo que seja um ambiente virtual). Foi assim que a webcomic fez o seu grande regresso com microhistórias que ilustram situações ou circunstâncias quotidianas próprias da era digital.

 

2. Faça sua webcomic: não tenha medo do formato ou da falta de experiência

Às vezes, o medo da crítica e da rejeição pode nos fazer acreditar que nossas ideias não são boas. Duvidamos mais do que o necessário e, finalmente, não conseguimos finalizar nenhum projeto. Se você já decidiu fazer seu webcomic, por favor, não desista.

Você está preocupado(a) com o formato? Com a prática e as diferentes referências na Internet, você vai se adaptar a ele.

Você não tem experiência? Lembre-se de que ninguém nasce com ela. Além disso, isso pode ser resolvido com o aprendizado. Você pode considerar o curso Ilustração para não ilustradores ou Introdução ao Adobe Illustrator. Ambos são de nível introdutório e o último é totalmente gratuito.

3. História da webcomic One Punch Man

Mesmo as grandes (e mais famosas) histórias começaram "pequenas" e quase anônimas. O nome One Punch Man soa familiar para você? Você sabia que esta série de anime que conseguiu chegar à Netflix começou como uma webcomic? Na verdade, ainda é, e muito popular, graças à boa combinação de ação e comédia que seu autor ONE (seu nome verdadeiro é desconhecido do público) conseguiu fazer.

One Punch Man foi publicado pela primeira vez na Internet em 3 de julho de 2009. Desde então, chamou a atenção dos usuários, que rapidamente o transformaram em uma webcomic muito popular. Assim, atingiu rapidamente mais de 10 milhões de visitas e 20.000 visitas por dia. Um marco na história das webcomics.

Muito pouco se sabe sobre o(a) artista e autor(a) original, conhecido(a) como ONE. Até hoje, ele(a) permanece anônimo(a). Pelo que podemos deduzir que ele(a) é alguém muito pouco interessado(a) em fama, e nisso se parece com seu próprio personagem One Punch Man.

webcomic one punchman

 

O estilo de ONE, autor(a) de One Punch Man

O estilo de desenho de ONE pode parecer desleixado e pouco profissional, mas sua intenção nunca foi destacar sua habilidade com um lápis, mas, sim, contar e tornar sua história conhecida. Algo que, sem dúvida, alcançou, sendo uma fonte de inspiração para quem deseja iniciar sua primeira webcomic.

 

one puncha man adaptación del webcomic

Obtenha uma Assinatura Premium e leve sua educação a outro nível

4. One Punch Man e sua adaptação ao mangá

Ciente da boa recepção do webcomic One Punch Man na rede, o cartunista Yusuke Murata propôs ao(à) ONE redesenhar seu projeto para sua publicação digital. ONE aceitou e em 14 de junho de 2012 (quase três anos após sua primeira aparição) foi publicada a webcomic redesenhada por Murata, que é conhecida hoje como a adaptação do One Punch Man para o mangá.

Isto não significou o distanciamento de ONE do projeto. Enquanto o mangá One Punch Man é ilustrado por Murata, o roteiro é escrito por ONE, que manteve um enredo semelhante ao da webcomic original.

Graças ao trabalho de Murata, o mangá One Punch Man inclui ilustrações de qualidade de arte e cenários redesenhados e foi publicado pela revista de mangá Shueisha Young Jump Next que, até agora, dedicou quase 20 volumes ao super-herói careca.

Se você se interessa por mangá e pelo mundo da ilustração, não podemos deixar de recomendar o curso Desenho para Mangá: Crie seus primeiros desenhos con Amorelli.

5. One Punch Man: do mangá ao anime

Depois de sua versão em mangá, One Punch Man continuou conquistando mais público em todo o mundo, até se tornar uma série de anime. A sua adaptação para animação esteve a cargo do estúdio japonês Madhouse.

A primeira temporada de One Punch Man estreou em 5 de outubro de 2015 e foi dirigida pelo ilustrador e animador japonês Shingo Natsume. O ator que emprestou sua voz para dar vida a Saitama foi Makoto Furukawa.

O resultado da primeira temporada do anime One Punch Man resultou em 12 episódios e 6 especiais (OVAs). A segunda temporada foi anunciada em setembro de 2017. Os episódios dessa etapa foram produzidos pelo estúdio J.C.Staff e foram ao ar entre abril e julho de 2019.

O universo dos animes é muito extenso, mas se você quiser ter mais referências para fazer sua webcomic e despertar o seu lado criativo com histórias incríveis, convidamos você a verificar nosso Guia para começar a assistir a animes neste fim de semana.

6. One Punch Man: webcomic em espanhol

O sucesso mundial da webcomic One Punch Man consolidou-se quando chegou à Espanha e à América Latina em 2015 e 2017, respectivamente.

Na Espanha, a produtora e distribuidora de conteúdos audiovisuais Selecta Visión adquiriu os direitos de One Punch Man para transmiti-lo com legendas em espanhol através do Movistar+. Mais tarde, em julho de 2016, o anime One Punch Man foi transmitido dublado para o espanhol.

Já na América Latina, chegou graças à plataforma de streaming Netflix, onde está disponível desde 1º de julho de 2017.

7. O que você precisa para fazer uma webcomic?

A seguir, detalhamos os pontos que você deve levar em consideração ao criar sua primeira webcomic. E para que tudo fique mais claro, vamos explicar com um exemplo.

Uma webcomic longa ou curta?

Isto depende do tipo de história que você deseja contar. Por episódios, ou em uma única tira para refletir uma circunstância do cotidiano. Se você é um(a) daqueles(as) que deseja escrever uma longa história, como os capítulos de Dragon Ball, pode começar definindo os personagens principais, o conflito principal e o ambiente em que sua história acontecerá.

webcomic El Vosque

Webcomic El Vosque

Se, por outro lado, seu objetivo é tornar o conteúdo muito mais curto, comece inspirando-se no que o(a) cerca. Você notará um determinado tópico que pode ser retratado como uma webcomic e contado em 1, 3 ou 5 quadrinhos. Um exemplo disso seria o seguinte:

 

webcomic del artista Bunsen

Webcomic Bunsen

Defina o cenário da sua webcomic

Em ambos os casos, você deve ter um ambiente ou ambiente no qual sua história ou situação se desenvolverá. Prepare o cenário e deixe sua imaginação correr solta. A sua história é sobre eventos da vida diária? Você pode escolher um supermercado como cenário (faremos um exercício com este exemplo mais tarde).

Escolha os personagens para seu webcomic

Um dos pontos mais importantes é escolher o personagem ou personagens para sua webcomic. Como eles são? A que se dedicam? O que gostam de fazer? Imaginemos, por exemplo: que seu personagem principal seja um viciado em café que sempre vai às compras no supermercado "Ofertiland", pois este é o único que tem a marca de que gosta.

Em busca do conflito de sua webcomic

Mas nenhuma história ou situação seria completa sem conflito, porque é o que alimenta sua história para mantê-la em andamento. Por exemplo: um conflito para o personagem viciado em café seria que um dia ele não possa tomar uma xícara de sua marca preferida.

Agora vamos ver como esses 3 elementos funcionam na narrativa de nosso exemplo de webcomic:

“A cada três semanas, Cafeíno Pérez vai ao supermercado Ofertiland comprar sua marca de café preferida. Tudo era tranquilidade e cafeína para este personagem, até que um dia ele não encontrou mais a marca que queria. Perguntou várias vezes sobre sua marca de café preferida no supermercado, mas disseram-lhe que não se preocupasse, que o café continuaria a chegar normalmente. No dia seguinte e nos outros, voltou a procurar o café sem sucesso. Naquele momento, Cafeíno percebeu que não era o único viciado em café na cidade."

O que é descrito não é a webcomic em si, mas é a base ou o resumo de como você poderia planejar sua história. Como o personagem descobre que não há café e que podem haver outros personagens que estão "roubando" a oportunidade de continuar tomando, já temos um conflito. O que se segue a esta história depende de como você deseja desenvolvê-la.

Por exemplo: seu personagem poderia começar a fazer todo o possível para resolver este conflito, conhecer novos personagens, aliados, inimigos, encontrar novos conflitos menores ao longo do caminho, mas sem descuidar de seu problema principal. Experimente fazer este exercício — temos certeza de que você terá ideias melhores do que as de um supermercado sem estoque de café.

Finalmente, com a base de seu argumento completa, você poderá definir os primeiros quadrinhos. No caso de webcomics episódicos e longos, você mostra o contexto e seu personagem e então — e aos poucos — vai “liberando” o conflito. O exercício também se aplica a webcomics com 1 tira única ou 1 imagem única, pois o conflito pode ser resolvido — ou não — de forma breve, por ser mais simples.

Se o conflito permanecer indefinido, não se preocupe. Este pode ser o fio condutor em torno do qual giram as outras situações dos quadrinhos que você continuar a publicar.

8. Preciso saber desenhar para fazer uma webcomic?

Esta pergunta pode ser respondida enrolando uma tira da webcomic Cyanide and Hapiness, uma das mais bem-sucedidas (no caso de One Punch Man não ser suficiente):

cyanide and hapiness webcomic

Webcomic Cyanide and Happiness

 

9. Com o que posso fazer minha primeira webcomic?

Nesta seção propomos até três alternativas para que você possa fazer sua webcomic.

A primeira opção que vou dar será a mais simples e acessível de todas, porque não deve haver limites para os criadores de histórias. Se você está decidido(a) a começar, mas não tem conhecimentos técnicos suficientes para lidar com ferramentas de design gráfico, não se preocupe, faça em uma folha branca, pegue uma régua, um lápis e dê forma aos seus quadrinhos.

Em seguida, planeje seus primeiros esboços e textos. Quando estiverem definidos, coloque um marcador sobre ele, para que tenha uma aparência muito mais profissional. Você pode colorir com marcadores coloridos, se preferir.

Esta versão manual de sua webcomic fará com que você não tenha limites para criar. Com sua primeira tira pronta, vá para uma impressora com scanner ou simplesmente pegue seu celular (ou câmera) e digitalize sua primeira criação, para que você possa enviá-la para a plataforma virtual de sua escolha.

Dica: digitalize a 600 DPI para obter uma boa resolução das imagens

A segunda opção não requer muitos conhecimentos de ilustração ou desenho de personagens, pois existem plataformas web que facilitam a criação de quadrinhos com o formato "drag and drop". As ferramentas gratuitas são ótimas para começar, mesmo se você estiver limitado(a) a trabalhar com imagens de estoque e personagens genéricos (que todos usam). Algumas delas têm versões pagas muito profissionais que tornarão sua vida mais fácil.

Uma maneira de usar o Photoshop (ou Illustrator, se preferir) é combinando-o com o primeiro método (desenho a lápis). Basta desenhar seus personagens como um esboço, tirar uma foto deles ou digitalizar a página e trabalhar a imagem resultante no Photoshop. Isto tornará mais fácil para você colorir a imagem ou definir suas bordas, ao usar camadas, pois os textos podem ser adicionados no final (e na própria camada).

Lembre-se de que não há limites para webcomics, apenas aqueles que você quiser.

10. Plataformas da web para fazer uma webcomic

Estas são as plataformas web que recomendo para fazer sua primeira webcomic (experimente as que são gratuitas):

 

11. Como fazer uma webcomic?

Confira este tutorial e aprenda como fazer uma webcomic passo a passo na plataforma gratuita Pixton.

 

12. Onde posso publicar minha webcomic?

Se você não tem muita experiência em manejar páginas da web ou blogs, a melhor opção sempre será criar uma página no Facebook onde você possa compartilhar suas novas criações regularmente. Esta opção é atualmente uma das melhores, já que se suas tiras forem interessantes, você ganhará popularidade em pouco tempo, não sem antes fazer alguma promoção.

Os prós de ter uma webcomic no Facebook:

- Seu conteúdo pode alcançar muitos seguidores em um curto espaço de tempo e pode até se tornar viral.

- Você entrará em contato com seu público e saberá imediatamente suas impressões sobre seu trabalho.

- Você tem a opção de investir algum dinheiro (se considerar que seu projeto é bom) promovendo suas publicações a um custo baixo para que sua audiência cresça mais rápido.

Contras de ter seu webcomic no Facebook:

- O formato das postagens limita muito o seu espaço de trabalho. Isto não permite que você compartilhe uma longa história de webcomic. Os webcomics de sucesso nas redes sociais são aqueles que se concentram nas situações do dia a dia.

- Seus seguidores não terão muita facilidade depois que você publicar um grande número de tiras. Por estar em formato de postagem, suas publicações antigas não serão facilmente acessíveis.

- Se você não tem um orçamento para promover suas postagens no Facebook com anúncios pagos, pode levar muito tempo para construir uma boa base de fãs. Se, por outro lado, você tem um milhão de amigos, não pe

Você também pode colocar seu conteúdo na internet da maneira antiga. Como? Enviando a imagem de sua webcomic para páginas que hospedam as imagens gratuitamente. Uma delas é o Photobucket, que lhe dará opções adicionais como editar e compartilhar o link da sua imagem com seus amigos ou com quem você preferir. Não é a melhor forma de construir uma audiência, mas, pelo menos, você já terá um lugar fora das redes sociais com seu conteúdo.

O Tumblr é outra rede social que tem sido usada por milhares de criadores independentes de webcomics. Estou inclinado a recomendar o Facebook, se a sua webcomic for para o público em geral. Entre as melhores plataformas para ter um espaço "próprio" gratuito na web estão o Blogger e o Wordpress (este último é, de longe, o meu favorito).

Vantagens de ter um blog (ou microblog como o Tumblr)

- Significa ter um espaço personalizado para colocar seus trabalhos. O formato, nestes casos, é conhecido como "Entrada" e basta você colocar a tira no tamanho que preferir.

 - Você pode organizar melhor os episódios de sua webcomic, seja por data de publicação, categoria ou tags. Assim, seus leitores sempre terão acesso aos seus primeiros números.

Desvantagens de publicar nestas plataformas

-Não serão um espaço 100% seu, pois o endereço web estará sempre hospedado na plataforma.

-Difundir seu trabalho é mais complicado porque você não conta com o potencial de alcance de redes sociais como o Facebook. Que alguém encontre sua página pode ser uma questão de sorte.

-Você não receberá feedback do público até que tenha tráfego e popularidade.

13. Outras plataformas para publicar sua webcomic GRÁTIS

Uma favorita de grandes e pequenos autores (em popularidade) é a lendária SmackJeeves. Neste site, tudo que você precisa fazer é criar uma conta gratuita e começar a enviar seu conteúdo. Edite quantas vezes quiser e dê a conhecer. Você também pode ler os trabalhos de outras pessoas que, como você, também são apaixonadas por webcomics.

Outro que possui um grande acervo de categorias é o The Duck. Você também precisará se registrar neste site, mas não se preocupe, porque é gratuito. Envie seus quadrinhos e dê aos seus trabalhos um espaço entre as melhores webcomics independentes de toda a Internet.

E a última opção que vou compartilhar com você é apenas se você quiser apostar tudo no seu projeto de webcomic. Com esta opção, você combinará tanto a opção de uma página no Facebook quanto a de ter seus quadrinhos em um blog ou site. Mas, neste caso, é melhor se você tiver um site 100% seu. Não se assuste, você não precisa criar uma página do zero. Você pode usar uma página como as do Blogger e o Wordpress, mas com o nome de sua própria marca no URL.

Para conseguir isso, você deve comprar um domínio com o nome de sua webcomic e colocá-lo como o novo endereço de seu site Wordpress ou Blogger. Um domínio é este: mywebsite.com. Você pode comprá-lo nas mesmas plataformas que oferecem o serviço gratuito, desde que tenham uma opção de pagamento para "tornar seu site independente". Esta é a opção Wordpress e esta é a opção Blogger (aqui você deve criar sua página do zero).

14. Como posso me tornar um(a) mestre das webcomics?

Você não precisa conhecer muito sobre programas ou ser o Leonardo Da Vinci do desenho para publicar sua primeira webcomic, como vimos nos exemplos anteriores. Mas se quiser levar sua produção a outro nível, no Crehana temos diversos cursos que vão ajudar você a criar seu primeiro personagem, ilustrar cenários e dar um look profissional às suas histórias. Eu recomendo fortemente este curso (adequado para webcomic) sobre ilustração de personagens de quadrinhos.

15. Outras webcomics e desenhos on-line que você deve conhecer

Não tem certeza de quais webcomics seguir? Aqui, recomendamos algumas.

Webcomic Heart and Brain, de Nick Seluk

Esta webcomic ilustra a relação entre o cérebro e sua contraparte emocionalmente impulsionada, o coração. Com mais de um milhão de visualizações de página por mês, TheAwkwardYeti.com tornou-se uma das webcomics mais populares desde seu início, em 2012.

As aventuras e discussões sobre o cérebro e o coração também estão disponíveis no Instagram

Webcómic Heart and Brain, por Nick Seluk

Webcómic Arte con Eme, por Marta Tapia

É uma webcomic criada pela ilustradora digital e professora do curso Webcómics: Ilustraciones para Instagram, Marta Tapia. Arte con Eme segue as histórias de uma jovem chamada Eme, que vive muitas situações do dia a dia, com quem mais de uma se sentirá identificada.

Você pode acompanhar suas vinhetas no Instagram.

Webcómic Arte con Eme, por Marta Tapia

Viñetas Albalez, de Alba Lez

Os quadrinhos on-line de Alba Lez destacam o dia a dia de uma jovem que lida com suas emoções com humor e as personifica: Fome, Estresse, Sono e Tudo o que tenho que fazer.

Alba relata que quando criou sua conta no Instagram para compartilhar seus quadrinhos, começou como qualquer pessoa, com um seguidor. Hoje, possui 128 mil seguidores. Se você quer saber como ela construiu sua comunidade em quase um ano e meio, recomendamos que leia esta entrevista e dê uma olhada em seu curso Humor gráfico em quadrinhos..

viñetas online de Alba Lez

Incidental Comics, de Grant Snider

Grant Snider é um ilustrador e dentista estadunidense. Sim, um dentista que, depois de atender aos seus pacientes pela manhã, dedica-se a ilustrar problemas do cotidiano pelas noites. Seu estilo tira aquela aura dramática que todos nós tendemos a atribuir aos problemas. 

En 2009 abrió la web Incidental Comics, onde continua a publicar seus quadrinhos. Você também pode encontrá-los no Twitter e no Instagram.

Incidental Comics, por Grant Snider

Webcomic False Knees, de Joshua Barkman

Na webcomic False Knees, Joshua Barkman dá voz a vários animais selvagens, desde pássaros, esquilos, guaxinins, etc. Embora os pássaros sejam os que têm maior protagonismo. Você já se perguntou como seria se os pássaros falassem? Bem, esta webcomic responde a essa pergunta. Os desenhos são feitos com cuidado e os diálogos trabalhados a partir de um humor inteligente.

Webcómic False Knees, por Joshua Barkman

Webcomic Café Amargo, de Pía Prado

Café Amargo é um web comic da ilustradora e quadrinista Pía Prado. Café Amargo se passa em 1939 em algum lugar da América do Sul e conta a história de Domingo Ramírez, que perdeu tudo — sua família, seu trabalho e felicidade. A única coisa que resta são as contas a pagar. Embora seu futuro pareça pior do que a própria morte, ele decide permanecer forte e buscar sua "luz de esperança" que aparece até nas situações mais sombrias e difíceis. Mas o formato dessa luz não é exatamente o que eu esperava.

Webcómic Café Amargo, por Pía Prado

 

16. O que é um webtoon? É o mesmo que uma webcomic?

Existem tantos termos na Internet que não se consegue aprender todos eles. Um webtoon é o mesmo que uma webcomic? A resposta é não. Embora o webtoon seja um formato de história em quadrinhos digital como o webcomic, seu principal diferencial está na apresentação.

Para cada episódio de um webtoon é preciso apenas uma única imagem vertical, que, por sinal, às vezes é muito longa. Esta característica permite uma melhor leitura em celulares e aparelhos eletrônicos. Geralmente, um webtoon tem mais cor e quase nunca é publicado na forma física. Alguns até têm música e até animações.

17. Como criar comics on-line grátis sem se registrar?

A plataforma Witty Comics permite que você crie quadrinhos on-line grátis sem se registrar. Pode ser muito útil se você está apenas procurando um lugar para praticar, porque se você finalmente quiser salvar seu quadrinho, ele pedirá para você se registrar.

O Witty Comics tem um formato de três tempos para criar comics on-line. Estas cenas são protagonizadas por duas pessoas que interagem entre si. Você pode escolher o personagem para cada cena e o cenário (há várias opções), além de incluir o texto da narração, os balões de texto, a conversa de cada personagem e o título geral.

Suas funções são muito básicas; por isso, não demorará muito para você entender como funciona.

Agora que você sabe que não é necessário ser o Leonardo da Vinci ou a Frida Kahlo da sua geração para fazer sua webcomic, é hora de começar a colocar suas ideias no papel ou no bloco de notas do seu celular. Escolha um software desenho ou uma plataforma grátis e comece a desenhar!

18. O que é uma história em quadrinhos?

Uma história em quadrinhos é uma história gráfica explicada por meio de quadrinhos que contêm desenhos e texto, embora nem sempre este seja o caso.

Sin embargo, en su curso Ilustração Tradicional e Digital para Comics, Pía Prado, quadrinista profissional de comics, conta-nos o seguinte:

"Os quadrinhos são muito mais do que ilustrações colocadas lado a lado. Por meio dos quadrinhos, podemos contar histórias que são importantes para nós e comunicar nossa visão de mundo aos outros."

Agora, quando perguntarem o que é uma história em quadrinhos, você saberá o que responder.

Além disso, os quadrinhos são muito versáteis quanto aos tipos de histórias que utilizam. Podem ser cômicos, dramáticos, fantásticos, policiais, de aventura etc.

19. Características de uma história em quadrinhos

Se há algo que diferencia uma história em quadrinhos de uma ilustração ou caricatura, é o seu caráter narrativo. Agora, vamos descobrir quais outras características tornam uma história em quadrinhos única.

  • Uma história em quadrinhos mostra diálogos, personagens, emoções, ações, etc.
  • Conta uma história por meio de desenhos ou ilustrações.
  • Narra eventos em sequência.
  • Integra o verbal e o icônico. Os textos e as imagens interagem, dando sentido à história.
  • Usa a linguagem coloquial, com frases curtas, hesitações, reprodução de sons, etc.
  • Não é necessariamente cronológica.
  • Seu objetivo não é apenas entreter ou distrair. Uma história em quadrinhos também pode criticar ou denunciar um acontecimento.

 

20. Quais são os elementos que compõem uma história em quadrinhos?

Uma história em quadrinhos contém elementos que não podem faltar para ser considerada como tal. Vamos conhecê-los.

  • Quadrinho: é o enquadramento que damos aos acontecimentos da nossa história, ou seja, as tomadas de câmera: plano geral, plano americano, plano médio, primeiro plano, etc.

 

  • Calha: é o espaço entre os requadros ou painéis de uma página de quadrinhos. Serve como um guia para a leitura da história.

 

  • Balloons: usados para mostrar o que os personagens da história estão dizendo ou pensando. Os balloons têm vários formatos, cada um expressando uma emoção diferente.

 

    Tipos de balloons:

  • Balloon de fala: indica que o personagem está falando.
  • Balloon de pensamento: indica que o personagem está pensando.
  • Balloon com pontas: indica que o personagem está gritando.
  • Balloon instável: indica que o personagem está nervoso ou assustado.

 

¿Cuáles son los elementos que conforman una historieta?

Imagem: Freepik

  • Onomatopeias: são palavras que imitam sons ou ruídos que não são típicos da linguagem humana. Por exemplo: crash, ouch, boomm, tick tock, pow, puff, bang, etc.

21. Como fazer uma história em quadrinhos?

Muitos de nós acreditam que saber desenhar é o mais importante para fazer uma história em quadrinhos. Outros acham que basta ter uma boa história. Desenho ou história? Nenhuma das anteriores.

Então, como você faz uma história em quadrinhos? Como diz Pía Prado, “o que devemos desenvolver primeiro para poder fazer uma história em quadrinhos é o que chamamos de capacidade narrativa”.

E o que é capacidade narrativa? A capacidade de contar uma história estrategicamente. Para aprender como desenvolvê-la, você pode começar respondendo a esta pergunta:

  • O que você deseja contar primeiro e o que deseja contar depois?

 

Se você é uma daquelas pessoas que, quando conta uma anedota ou piada, faz os outros esperarem para ver o final, então você é bom(a) em contar histórias. Em outras palavras: sua habilidade de contar histórias está “pegando fogo”.

Como fazer uma história em quadrinhos: os primeiros passos

Suas dúvidas sobre como fazer um quadrinho vão começar a se dissipar a partir daqui.

¿Cómo hacer una historieta?

Imagem: Curso de Ilustração tradicional e digital para quadrinhos com Pía Prado

  • Se você está apenas começando no mundo dos quadrinhos, é melhor começar contando um conto.
  • Defina sua história do início ao fim. Escreva todos os acontecimentos da sua história no papel.
  • Depois de ter certeza do que acontecerá em sua história, você deve desenhar os eventos e incluir os diálogos em um storyboard. Um storyboard é um guia fgráfico que exibe imagens em sequência.
  • Seus desenhos não precisam ser perfeitos no storyboard. Nesta etapa, você precisa se preocupar mais com a narração.
  • O próximo passo é a composição da página dos seus quadrinhos. Aqui você ordenará os acontecimentos de sua história.
  • Então, você incluirá os balloons. Lembre-se de dar a eles uma ordem e que não interfiram nos desenhos.
  • Quando tiver seu storyboard pronto, você pode começar a esboçar sua história em quadrinhos.
  • Assim que terminar o seu esboço (com todos os elementos que uma história em quadrinhos deve ter), será hora de ir para as canetas e marcadores e tinta.
  • Quando tiver concluído o processo de pintar, a próxima etapa é digitalizar sua página de comic em um software de edição de imagens.

 

22. Qual é a diferença entre a história em quadrinhos e a caricatura?

Como já dissemos, na história em quadrinhos predomina a narrativa e o uso de quadrinhos com desenhos. Já a caricatura é um tipo de retrato com intenção humorística ou crítica.

A caricatura muitas vezes deforma ou exagera os traços característicos de uma pessoa. Não tem caráter narrativo.

 

Bonus track:

Baixe grátis nosso e-book sobre Fundamentos da Ilustração..

fundamentos de la ilustración

Este Guia para ilustrar a narrativa ajudará você a compreender que, às vezes, a história é mais importante do que os desenhos.

 

Recomendados para ti